Como vencer na era mobile

Já parou para pensar quanto tempo passa com o telemóvel na mão? Se for uma pessoa comum é provável que o seu telemóvel o acompanhe a maior parte do tempo, como se fosse parte de si. Ok, talvez seja uma pessoa diferente que só usa o telemóvel para situações específicas e raras. Se é esse o seu caso, o que é bem difícil nos dias de hoje, observe as pessoas à sua volta, quantas horas por dia acha que a maioria das pessoas gasta interagindo com o telemóvel? Horas e mais horas todos os dias é uma ótima estimativa. Este novo comportamento pode e deve ser usado em seu favor, para tal, tudo o que precisa é de uma estratégia de marketing adequada. Mas antes de nos aprofundarmos neste assunto, vamos tentar entende-lo melhor…

 

O comportamento dos utilizadores de dispositivos móveis

A velocidade é o que define a interação entre o utilizador e dispositivo móvel. As pessoas têm acesso a quase todo tipo de informação através dos dispositivos móveis em poucos segundos. Mas não estamos a falar apenas sobre o acesso à informação, existem mais coisas que podem ser feitas através de um dispositivo móvel. Nos dias de hoje as pessoas podem fazer compras, reservar quartos de hotéis, partilhar informações, etc..

 

O pecado capital da hotelaria na era dos dispositivos móveis

Como já falamos, o acesso rápido a informação é um talvez o primeiro fator de sucesso para garantir a atenção dos seus potenciais clientes. Então, imagine como uma pessoa comum vê um hotel que não disponibiliza informações on-line. Provavelmente não perderá muito tempo a pesquisar e irá procurar um outro hotel que não tenha cometido este erro.

 

Correto, é mesmo um erro. Não disponibilizar informação de uma maneira fácil para os utilizadores de dispositivos móveis é um verdadeiro erro.

 

Então como os hotéis devem lidar com esta realidade?

Bom, existem duas etapas que a hotelaria deve implementar para garantir o sucesso entre os utilizadores de dispositivos móveis. São elas: Primeiro, disponibilizar informação pertinente aos utilizadores. Segundo, possibilitar um acesso fácil e rápido a essa informação. Vamos ver em detalhes cada uma dessas etapas.

 

Disponibilizar informação pertinente aos utilizadores de dispositivos móveis

Basicamente trata-se de separar todo o conteúdo que os seus clientes em potencial possam ter interesse e deixá-los acessíveis na internet. A criação de um website é a forma mais comum de o fazer, no entanto, existem diversos meios para o fazer. Um hotel pode criar um canal no YouTube, usar as redes sociais, as ferramentas de pesquisa do google, etc.

 

Tornar a informação acessível para os utilizadores de dispositivos móveis

Não é só colocar a informação na internet e esperar que os utilizadores a encontrem. É preciso ter certos cuidados para que as suas informações possam ser encontradas sem muito esforço por parte do utilizador. Esses cuidados incluem, a criação de um website responsivo, ou seja, um website que tem um visual agradável independente do dispositivo que está a ser utilizado para o ver, etc.

 

Como garantir que as duas etapas são implementadas?

É simples, tudo o que precisa fazer é contratar uma equipa de marketing digital capaz de planear e executar esta tarefa. A verdade é que apesar de não parecer, a implementação destas duas etapas não é fácil, é necessário a participação de profissionais qualificados e com experiência na área.

 

Delegar esta tarefa a quem não dispõe das necessárias qualificações é um erro comum que muitos hoteleiros cometem.

 

O que acontece quando uma empresa não se adapta a esta nova realidade

Imagine o seguinte: O Pedro quer viajar para o Porto, ouviu falar sobre um hotel interessante, a primeira coisa que faz é procurar informações sobre o mesmo através do seu dispositivo móvel. O problema é que ao aceder ao site oficial do hotel depara-se com um layout desconfigurado. Por alguns minutos, o Pedro, ainda tenta procurar a informação que precisa mas acaba por desistir e procurar outro hotel.

 

Este tipo de situação é mais comum do que pode imaginar. Quando um hotel não está presente no consumer journey de potenciais clientes, clientes são perdidos.